Palácio Gustavo Capanema

Palácio Gustavo Capanema

Fotografia por Cabano

Desenvolvido por Lúcio Costa, Affonso Eduardo Reidy, Carlos Leão, Ernani Vasconcellos, Jorge Machado e Oscar Niemeyer, a sede do antigo Ministério da Educação e Saúde Pública é sem dúvida um dos exemplares mais contundentes do impacto da obra de Le Corbusier sobre os arquitetos modernos brasileiros na primeira metade do século XX.

Contudo, se é possível identificar ecos das propostas do arquiteto franco-suíço, responsável pela supervisão inicial do projeto do Ministério em 1936, seja em função da aplicação de seus cinco pontos da arquitetura – térreo com pilotis, estrutura independente, aberturas horizontais, terraço-jardim e fachada livre – seja em função da adoção do brise-soleil, que ele havia desenhado três anos antes, é patente também que os arquitetos brasileiros, ao desenvolverem o projeto, superaram as lições do mestre, criando a primeira e mais significativa obra da arquitetura moderna brasileira.

Como marco inaugural dessa arquitetura, o Ministério carrega as qualidades essenciais que destacaram a produção nacional do conjunto arquitetônico moderno mundial, a saber: a recuperação e releitura de elementos tradicionais locais como azulejos e muxarabis; o amolecimento da geometria rígida das vanguardas arquitetônicas europeias pela adoção da linha curva e diagonal; a articulação entre volumes desenhados conforme o programa de necessidades, cujas formas se complementavam e contrastavam; a integração entre os espaços externos e internos, ou dito de outro modo, entre arquitetura e natureza.

O Palácio Gustavo Capanema merece atenção também por propor um novo arranjo para os edifícios públicos de repartição; por sua implantação contrastante em relação ao entorno, definido pelo Plano Agache e por quadras desenhas nos limites dos lotes; pelo paisagismo concebido por Burle Marx e pelo importante conjunto de obras artísticas realizadas por Cândido Portinari, Celso Antônio e Bruno Giorgi.

(Fotografia do blog http://cabanodatabauera.blogspot.com.br/)



Artigos relacionados

Rosa Artigas: Entre a preservação do patrimônio urbano e o IPTU da cidade de São Paulo

Artigo da historiadora Rosa Artigas sobre a difícil situação de preservar as obras do pai e pagar altos impostos à Prefeitura.

Prefeitura de São Paulo planeja retirar mosaicos portugueses de calçadões

As pedras devem ser substituídas por concreto a partir de janeiro. A justificativa da prefeitura é de que o novo piso facilita a acessibilidade e tem menor custo de manutenção – cerca de 6 vezes mais barato. De acordo com

Conjunto da Pampulha é declarado Patrimônio Mundial da Humanidade

O Conjunto Arquitetônico da Pampulha, projetado por Oscar Niemeyer, foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO

2 comentários

Escreva um comentário
  1. Joao
    Joao 21 abril, 2014, 15:01

    pilotis em todos os lugares, palácio capanema é lindo. Com seus azulejos

    Responda este comentário

Escreva um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: